EPI: NÃO BASTA DISPONIBILIZAR TEM QUE FISCALIZAR

O Equipamento de Proteção Individual – EPI são equipamentos, produtos e dispositivos de uso individual utilizado pelo trabalhador destinado a proteção e combatendo alguns riscos capazes de ameaçar a sua segurança e saúde no trabalho.

Os tipos de EPI’s que devem ser utilizados podem variar de acordo com o tipo de atividade da sua empresa e do grau de risco que poderão colocar a segurança e a saúde do trabalhador em risco e da parte do corpo que se pretende proteger, tais como:

 

•Proteção auditiva: abafadores de ruídos;

•Proteção visual: óculos e viseiras;

•Proteção de mãos, braços, pernas e pés: luvas, sapatos, botas e botinas;

•Proteção respiratória: máscaras e filtros;

•Proteção contra quedas: cintos de segurança;

•Proteção da cabeça: capacetes.

 

Compete ao Serviço Especializado em Engenharia de Segurança e em Medicina do Trabalhado – SESMT ou a Comissão Interna de Prevenção de Acidentes – CIPA, recomendar ao empregador o EPI mais adequado para determinada atividade.

É de extrema importância ressaltar que não basta só o fornecimento do Equipamento ao empregado, é obrigação do empregador treinar o uso e fiscalizar se está sendo utilizado e de forma correta. É comum alguns colaboradores sofrerem consequências dos riscos no ambiente pela falta ou mau uso do equipamento de proteção.

Sendo assim, é dever da empresa entregar os EPI’s com uma ficha de entrega, orientações e cursos de utilização se necessário. A falta de colaboração do empregado pode acarretar penalidades e suspensão no primeiro momento podendo levar até mesmo em punições mais severas.

Voltar á pagina anterior